Agência Nacional do Cinema
Translate traduzir ImprimirImprimir 28/09/2018 14:04

Niterói anuncia Museu do Cinema Brasileiro e celebra sucesso de seu programa de audiovisual

Edital local foi a primeira parceria da ANCINE com uma cidade não-capital realizada através da Linha de Coinvestimentos Regionais do FSA

Preview
Ampliar
Leonardo Lima (Ancine), João Luiz Vieira (professor da UFF), Marcos Gomes (Sec de Cultura de Niterói), o prefeito Rodrigo Neves, Giovanna Victer (sec de Planejamento de Niterói), Axel Grael (secretário Executivo de Niterói) e Danielle Nigromonte (subsecre
O prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, assinou nesta quinta-feira (27) decreto para a criação do Museu do Cinema Brasileiro. O futuro museu vai ocupar o prédio em formato de rolo de filme no Centro Petrobras de Cinema, em São Domingos. O prefeito aproveitou a oportunidade da assinatura do decreto para informar que o auditório multiuso do espaço, com obras já bem adiantadas, será batizado de Nelson Pereira dos Santos, em homenagem ao professor que criou o curso de Cinema da UFF há 50 anos. Neves também celebrou o sucesso do programa "Niterói Cidade do Audiovisual" a primeira parceria da ANCINE com uma cidade não-capital realizada através da Linha de Coinvestimentos Regionais do FSA.

“Niterói tem uma vocação natural para o audiovisual e já é referência no segmento graças ao curso de Cinema da UFF (Universidade Federal Fluminense) e ao programa Niterói: Cidade do Audiovisual, que atraiu grandes produções e eventos estratégicos para filmarem aqui, oferecendo apoio financeiro, técnico e logístico. Agora iniciaremos novos investimentos, com o lançamento do novo edital e a criação do primeiro Museu do Cinema Brasileiro”, disse o prefeito Rodrigo Neves. 

O evento que celebrou o primeiro ano do programa contou com a presença de representantes dos 39 projetos contemplados pelo edital lançado no ano passado. São investimentos de R$ 6 milhões para diferentes linhas de ação. Mais de 300 projetos, de todas as regiões do Estado do Rio, participaram da seleção. 

A seleção premiada conta com 4 longas-metragens; 10 curtas-metragens; 7 produtos para TV (entre obras seriadas e telefilmes); 4 mostras e festivais; 3 iniciativas de fomento a cineclubes; 4 projetos para projeção em espaços urbanos; 4 propostas para produção e difusão em novas mídias; e 3 projetos de pesquisas. 

O premiado cineasta Eduardo Nunes, vencedor na categoria “Longa Metragem”, com o filme “Cinco da Tarde”, falou sobre a importância do programa para incentivar o setor do cinema em Niterói e agradeceu a ANCINE e a Prefeitura pela exemplar iniciativa. 

“É um orgulho poder participar e ainda ser contemplado num edital aqui em Niterói, lugar onde nasci, fui criado e moro. Trabalho há 20 anos com cinema e jamais tive a chance de realizar nada em Niterói. Agora, pela primeira vez, vou poder ir a um set de filmagem a pé. Esse é o início de um grande movimento, que coloca Niterói em um lugar diferenciado, atraindo a indústria audiovisual, com executores, realizadores e toda a sua cadeia”, comemorou Nunes.

A solenidade também contou com a presença do especialista em regulação da ANCINE, Leonardo Lima, do professor de cinema da Universidade Federal Fluminense (UFF), João Luiz Vieira, do presidente da Fundação de Arte de Niterói, André Diniz, do secretário Executivo de Niterói, Axel Grael, da secretária de Planejamento, Giovanna Victer e da subsecretária de Cultura, Danielle Nigromonte.
 
 
Ícone Webmail Webmail Ícone Mapa Mapa do site SEI
Agência Nacional do Cinema - Ministério da Cidadania - Governo Federal